Secretaria da Previdência alerta: cuidado com os golpes A abordagem dos estelionatários pode ocorrer por telefone, carta ou e-mail

Imagine que você está em sua casa. De repente, seu telefone ou celular toca e quando você atende, descobre que tem direito a receber valores atrasados de benefícios pagos pela Previdência. Esse cenário tentador já resultou em fraudes contra segurados da Previdência por todo o país.

Essa é apenas uma das abordagens utilizadas por fraudadores que se passam por representantes do órgão para oferecer benefícios e extorquir os segurados. Esses estelionatários ligam para segurados da Previdência e se passam por integrantes do Conselho Nacional de Previdência (CNP). Com essa falsa promessa, os golpistas solicitam dados pessoais, informações sobre o seguro do INSS do cidadão. Uma das fraudes mais comuns é o requerimento de uma “taxa” para liberar o processo do suposto do “benefício a receber”. Por conta desse tipo de golpe, a Secretaria de Previdência do Ministério da Economia decidiu alertar à população:

Todos os serviços e valores a receber, quando realmente existentes, são disponibilizados de forma gratuita aos segurados.

Outro ponto de alerta para evitar esse tipo de fraude é: membros de conselhos ligados à Secretaria de Previdência nunca entram em contato com segurados. Confira a seguir, outras dicas para manter-se atento e evitar cair nas armadilhas e golpes relacionados ao seguro da Previdência.

Falsos documentos da Auditoria Geral Previdenciária

Já foram identificadas situações em que os fraudadores enganaram os segurados ao enviar uma falsa “Auditoria Geral Previdenciária”, convocando-os a uma “Chamada para Resgate”. Esse papel traz uma informação falsa de que o segurado teria direito a resgatar de valores supostamente descontados da folha de pagamento como aposentadoria complementar.

ESCLARECIMENTO

A Secretaria de Previdência reforça que não entra em contato com seus segurados dessa forma, uma vez que essa abordagem não existe. Os benefícios são pagos mensalmente pelo instituto são da previdência pública, contributiva por todos os trabalhadores filiados ao Regime Geral de Previdência Social.

Promessa de revisão de benefícios concedidos no governo Collor

Outro exemplo de golpe é a suposta revisão de benefícios concedidos à época do governo Collor.

ESCLARECIMENTO

Todas as revisões de benefícios realizadas pela Previdência são baseadas na legislação. Por isso, os segurados não precisam realizar pagamento algum para ter direito ao benefício.

Direito a precatórios e outros golpes

Ao atender uma solicitação para entrar em contato por telefone para liberar o valor rapidamente, o cidadão também está sendo vítima de uma fraude.

Fraudadores também enviam papéis timbrados, folhas ofício ou outras comunicações em nome da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc). Nessa estratégia, o golpe orienta os participantes e assistidos sobre suposto resgate de contribuições de planos de aposentadoria complementar. Neste cenário, os estelionatários costumam solicitar informações pessoais ou bancárias dos cidadãos. A razão para isso seria para efetuar a cobrança pelos serviços prestados ou custos judiciais.

Por conta de tantas abordagens diferenciadas, a Secretaria de Previdência reforça:

  • Não forneça dados pessoais a terceiros;
  • Não se solicita dados pessoais a segurados por e-mail ou telefone;
  • Não há qualquer tipo de cobrança para prestar atendimento ou para realizar seus serviços;
  • Segurados não devem recorrer a intermediários para entrar em contato com a Previdência Social;
  • Por último, mas não menos importante, não deposite qualquer quantia para ter direito a algum benefício.

A recomendação para vítimas desse tipo fraude é registrar boletim de ocorrência na Polícia Civil o mais rápido possível para evitar complicações futuras.

Fonte: previdencia.gov.br

Leia também: